A robotização ainda depende de humanos! Estamos no meio da 4ª Revolução Industrial e a maioria das soluções tecnológicas são inovadoras. O fator humano é essencial para a estruturação e implementação dessa nova onda de conhecimento. Por isso, é possível afirmar que os robôs não irão substituir os humanos no mercado de trabalho. O que deve acontecer é uma reinvenção da mão de obra.

Você sabia que robôs e humanos podem, e devem, coexistir no mercado de trabalho? Acompanhe o artigo abaixo e descubra como.

 

A robotização irá substituir os seres humanos?

Como esta pergunta já foi feita diversas e diversas vezes, é importante respondê-la rapidamente para acalmar os ânimos: Não! A robotização não irá substituir os seres humanos. Na contramão do que muitos pensam: a robotização irá gerar muitas novas oportunidades aos seres humanos. O fato de a robotização aumentar e acelerar a produtividade das empresas, faz com que mais tarefas sejam realizadas e, com isso, aumenta-se a demanda de trabalho aos homens.

A automação de software realmente pode substituir o trabalho humano, mas também cria novas necessidades na relação homem-máquina e, consequentemente, novos postos e funções de trabalho.

 

O ser humano precisa se reinventar

A robotização não veio para substituir o ser humano, mas para complementar seu trabalho. Para isso, o ser humano precisa se reinventar e se aproveitar da robotização.

O primeiro passo é visualizar a robotização como uma força aliada e não uma inimiga. Um estudo do MIT aponta que o futuro do trabalho está na colaboração entre seres humanos e máquinas

Em seguida, os seres humanos devem transformar-se em profissionais que buscam cada vez mais novos conhecimentos e atualizações. A partir da leitura de livros, jornais, revistas e outras bases teóricas, o profissional formará uma base intelectual vasta, que além de facilitar o entendimento das mudanças que estão surgindo, trará base para empregar criatividade, inovação e competências emocionais nos novos empregos e atuações.

 

Processos que podem ser robotizados

O foco da robotização está na execução de processos repetitivos, morosos e que exigem pouca análise cognitiva. Há processos robotizáveis na grande maioria de tipos de empresas e suas diversas áreas, como:

  • Administrativas;
  • Financeiras;
  • Cobranças e CallCenters;
  • Logísticas;
  • Backoffices;
  • Tecnológicas e outras.

 

Os processos “clássicos” à robotização são processos que a partir de um conjunto de informações (em planilhas, banco de dados, sistemas ou arquivos) são realizadas diversas operações sistêmicas (inserções, atualizações e exclusões) e espera-se uma saída e um resultado.

Porém, é válido ressaltar que a junção de Robotização de Processo e Inteligência Artificial expande as possibilidades da automatização, incluindo o “pensamento digital” nos processos automatizados.

 

Exemplos de robotizações são:

  • Lançamento de Notas Fiscais de Serviços em ERP;
  • Geração de Boletos e Envio a Clientes;
  • Emissão de Relatórios de Compras e Realização de Follow-up por E-mail,

 

Processos que não devem ser robotizados

Os processos que não devem ser robotizados são aqueles que, para serem executados, demandam a análise cognitiva de analistas especializados ou uma tomada de decisão.

Funções como analista estatístico, gestor de qualidade, de conteúdo, de sistemas de dados, gerenciamento de máquinas de Gestão RPA, engenharia de processos, estratégia da informação, entre tantas outras, passarão a ser cada vez mais necessárias, uma vez que o ser humano deverá complementar e interagir com este novo tipo de “maquinaria” e avaliar ou executar funções que esta não faz. Cargos voltados para estratégia, conhecimentos multifuncionais, relacionamento de negócios, desenvolvimento e suporte certamente serão bastante procurados.

O lado positivo da robotização é que ela assume as tarefas operacionais, abrindo espaço para o ser humano dedicar-se cada vez mais a atividades analíticas – dessa forma, propiciando melhores resultados e melhoria na qualidade de vida num modo geral.

Gostou dessa dica? Acompanhe nosso blog para ficar por dentro de tudo sobre robotização de processos.

Spread the love